Cheguei no Canadá – primeiras impressões e mais!

Olá pessoal!

Estive um pouco sumida esses dias, afinal a arrumação das malas, as despedidas, a viagem, uma breve passagem por NY e por fim a chegada em Toronto me mantiveram bastante ocupada. Agora estou aqui, instalada, não de forma definitiva, porém com mais tempo para dedicar ao blog.

Passei por uma temporada de despedidas, as quais nunca são fáceis. Deixei amigos e familiares queridos no Rio, São Paulo e Curitiba. Sei que são amizades fortes, a maioria já acostumadas a enfrentar fronteiras… e espero ver a todos novamente em breve, em algum lugar do mundo.

Saí de Curitiba na quarta-feira passada, dia 4 de janeiro com destino inicialmente a São Paulo. Foi bem difícil me despedir dos meus pais e das minhas três gatinhas, o coração ficou muito apertado. O bom é que meus pais sempre me apoiaram e estão confiantes de que estou no caminho certo, então tento sempre me lembrar disso na hora em que a saudade bate mais forte.

Tive a sorte de conhecer duas pessoas muito queridas no avião, mãe e filha que estavam indo pegar o avião para Londres, cidade onde moraram durante muitos anos. Conversamos bastante, a companhia foi tão agradável que me distraí um pouquinho, fazendo esse processo ficar um pouco mais fácil. Elas ainda me fizeram companhia no aeroporto, trocamos Facebook e esperamos nos encontrar novamente algum dia, em algum lugar do mundo.

Já no avião para NY conheci outra pessoa muito legal, que por coincidência é da cidade ao lado da cidade na qual eu nasci e também conversamos bastante. Ficou admirado com a minha coragem de me mudar assim sozinha para tão longe. E tem horas que eu paro para pensar e também admiro… mas no fundo não sei se é coragem a palavra… ou se é só um atrevimento sem pensar muito nas consequências, porque no fundo o medo e a insegurança não deixam de existir aqui dentro!

Na quinta-feira dia 5 às 6 da manhã o avião pousou em NY. Vou fazer um post específico sobre as coisas que eu fiz lá naquela cidade fantástica depois, mas vale mencionar que foram 3 dias muito intensos. Não parei um segundo e se o app do iPhone estiver certo eu caminhei em média 15km por dia… mesmo debaixo de neve e muito frio! Ficar parada em NY perdendo tempo enquanto podia explorar tudo aquilo é que não dá, né?! Afinal entre as cidades do mundo que eu conheço, é uma das minhas favoritas!

Esses dias em NY foram bem cansativos mas me ajudaram por um lado a não pensar muito nas despedidas e nos desafios que virão pela frente. Conheci muita gente legal, visitei lugares que já conhecia e outros novos… valeu a pena.

No domingo às 7h da manhã, horário ingrato, estava embarcando rumo a Toronto. Depois de 1h30 de vôo (sim, é muito perto), cheguei aqui no país da diversidade e da gentileza. Não preciso dizer que minhas primeiras impressões foram super positivas, né?! Já no aeroporto, pessoas muito simpáticas e amigáveis, puxavam assunto do nada, sempre sorrindo. Adorei! Foi um ótimo começo!

Minha passagem pela imigração foi super simples, sem grandes questionamentos. Só me perguntaram porque eu estava vindo, qual era minha profissão, se eu tinha algo na bagagem a declarar, se pretendia trazer mais alguma coisa depois, qual a quantia em dinheiro que eu ia trazer para o país. Não tive que provar nada com nenhum documento, somente responder. Depois fui orientada sobre a importância de obter o Social Insurance Number (SIN) o mais rápido possível, pois sem ele eu não poderia trabalhar. E depois disso foi só “Congratulations and welcome!”… emocionante escutar isso, mas é difícil entender o que realmente está acontecendo. Acabei de ser recebida como residente permanente em um país no qual eu nunca estive… e vim para ficar! Agora é começar tudo do zero e vamos que vamos!

Peguei minhas malas e encontrei uma querida amiga que eu tive o prazer de conhecer durante o tempo em que trabalhei no Comitê Organizador dos Jogos Olimpicos e Paralímpicos Rio 2016. Ela estava me esperando para me dar as boas-vindas, um amor! Passei o dia com ela e no final da tarde vim para o apartamento que aluguei através do Airbnb.

O frio?! Assusta se você não estiver preparado. Se colocar as roupas certas, dá para aguentar bem… ok, eu ainda não peguei -40 graus, depois voltamos a falar sobre isso. Por enquanto a menor sensação térmica que peguei foi de -14 graus, bastante frio, mas nada que 12 peças de roupa não resolvam.

Segunda e hoje fui atrás de alguns documentos, um chip canadense para meu celular, afinal confesso que sou totalmente dependente da tecnologia, tanto no quesito mapas e localização (santo Google Maps, Transit, entre outros, não sei como eu vivia antes de vocês), mas principalmente no quesito contato com pessoas queridas (Whatsapp, declaro a você meu eterno amor e gratidão!).  Farei mais pra frente um post específico sobre documentos a serem tirados pelos residentes permanentes ao chegar no Canadá… e provavelmente também sobre operadoras de celular.

Foram dias de muitas primeiras vezes para mim… primeira vez num apartamento alugado pelo Airbnb… primeira vez no Canadá… primeira vez num supermercado canadense (que por sinal é sinônimo de parque de diversões para mim de tanta variedade, principalmente no caso de comidas saudáveis com preços acessíveis em relação ao Brasil)… primeira vez indo pra outro país com passagem só de ida, sem data para voltar… Primeira vez morando num lugar com um inverno tão intenso… Mas não é a minha primeira vez morando fora do Brasil sem a minha família, então eu sei bem que se trata de enfrentar uma montanha russa de sentimentos. Em um momento tudo é novidade, tudo é muito legal, tudo é maravilhoso e muito melhor que o Brasil… no outro a gente só quer entrar num avião e voltar pra casa, dormir na nossa cama, abraçar nossa família… a gente até esquece da violência, desemprego, corrupção… nem lembra a razão que nos fez pensar em sair de casa. O jeito nessas horas é lembrar dos objetivos que me fizeram vir até aqui e seguir em frente… mentalizar as coisas boas, como a qualidade de vida, as pessoas novas que vou conhecer, as oportunidades que terei, agradecer por ter chegado até aqui, etc.

E é isso… nos próximos dias continuarei a saga atrás de documentos, abertura de conta em banco, busca de emprego, etc… aos pouquinhos tudo vai se encaminhando e sei que logo logo estarei bem adaptada.

Beijos e até o próximo post.

Lu

7 Comments

  1. thalithali

    Lu estou lendo cada post seu. Realmente é incrível sua coragem. Estou iniciando um plano para fazer o mesmo, mas confesso que dá certo medo. Quando se faz uma mudança drástica dessa com um acompanhante, um se apoia no outro, até nos momentos de medo e insegurança. Vc é uma pessoa bem destemida e admiro isso. Essa parte “E depois disso foi só “Congratulations and welcome!”… emocionante escutar isso, mas é difícil entender o que realmente está acontecendo. Acabei de ser recebida como residente permanente em um país no qual eu nunca estive… e vim para ficar! Agora é começar tudo do zero e vamos que vamos!” realmente é surpreendente.

  2. thalithali

    *corrigindo, faltou uma frase no meu comentário: […] até nos momentos de medo e insegurança. Mas quando se vai sozinho deve ser uma sensação muito diferente. Vc é uma pessoa bem destemida e admiro isso.”

    • lulikealocal lulikealocal

      Oii!! Muito obrigada pelo seu comentário! Pois é, no fundo no fundo eu morro de medo em vários momentos, mas eu acabo encarando porque a vontade de morar fora é maior. Dá medo sim, é normal, mas se for isso que você quer vá se preparando aos pouquinhos que logo você chega lá! Uma dica boa é começar fazendo pequenas viagens sozinhas, aí você vai ver que não é tão difícil assim e que a sua companhia é ótima, além de te permitir fazer exatamente o que você quer na hora que você quer e estar mais aberta para conhecer gente nova! Bjs e continue com o seu plano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *